f

Ajudamos a conceber, planejar e gerir  Aceleradoras Corporativas, unidades de inovação e novos negócios apoiadas por empresas maduras

Uma Aceleradora Corporativa apoia empreendedores e startups com projetos alinhados aos interesses de uma ou mais corporações parceiras.

Corporações e Aceleradora aportam nesses projetos recursos financeiros ou econômicos, além de conhecimentos e credibilidade.

Efetivamente ajudam a amadurecer a ideia do negócio, acessar mercado, conquistar clientes e crescer rapidamente.

Na prática: O caso InoveSenior

Lançado em 2014, o InoveSenior foi o primeiro Programa de Aceleração Corporativa do Brasil.

Em parceria com a Senior Sistemas, a STARTA ajudou a corporação a conceber, lançar e gerir todas as atividades da primeira edição do Programa

Ao final do Programa, a corporação se tornou sócia de seis das oito startups aceleradas, sendo que três delas viraram unidades de negócios e outras três firmaram parceiras estratégicas.

Novos negócios gerados para a corporação:

Nossa abordagem

Enquanto uma aceleradora “convencional” oferece às suas startups capacitação, assessoria e mentoria, nossa proposta de aceleradora corporativa inclui nessa equação o acesso a ativos de uma grande corporação, incluindo reputação, conhecimento de mercado e força de vendas.

Pequenas empresas, com alta capacidade de inovação, mas pouco capacitadas para lidar com os riscos e desafios envolvidos nos processos de mercado, trabalham em parceria com grandes empresas, que aportam recursos financeiros, habilidades gerenciais, sistemas de distribuição e comercialização – um conjunto de ativos tangíveis e intangíveis que podem ser determinantes para o sucesso de um novo empreendimento.

A busca por investidores de risco dá lugar ao desafio de conquistar os primeiros clientes e crescer mais rapidamente.

Como fazemos

Ajudamos sua empresa a conceber, lançar e operar uma aceleradora corporativa alinhada aos seus interesses estratégicos. Isso inclui:

 

  • Concepção do programa, em conjunto com a corporação
  • Divulgação e processo de seleção
  • Infraestrutura física (espaço de coworking)
  • Mentoria: acompanhamento dos projetos, apoio; troca de ideias, feedback e avaliação do desempenho individual dos empreendedores;
  • Processo de “apadrinhamento” através de “anjos corporativos”, elos de ligação entre as startups, os recursos da corporação e o mercado
  • Todos os instrumentos jurídicos necessários para se definir participações acionárias e demais direitos e deveres das partes envolvidas

Programas de Aceleração Corporativa

Uma Aceleradora Corporativa é uma unidade externa de corporate venturing; iniciativa fortemente apoiada por uma empresa consolidada.  Seu objetivo é atrair, selecionar, apoiar e levar ao mercado projetos de inovação com potencial de gerar novos negócios para a corporação.

Porque uma unidade externa?

Quanto maior o grau de inovação de um produto ou modelo de negócio, maior é a necessidade de flexibilizaçao e de se manter o projeto longe dos controles e processos existentes nas corporações. Uma unidade externa tem mais chances de absorver uma cultura e práticas de gestão voltadas à promoção da inovação, como open innovation e lean startup; se aproximar do universo dos jovens empreendedores e das instituições de P,D&I; e orquestrar um ecossistema de inovação em torno dos interesses da corporação.

Benefícios para a Corporação

Programas de Aceleração Corporativa podem buscar negócios alinhados a diferentes perspectivas, almejando tanto retornos tangíveis quanto intangíveis.

     

    • Gerar ganhos financeiros.
    • Alavancar ativos intangíveis, como a marca da empresa
    • Acesso a novos mercados, através de novos produtos ou tecnologias.
    • Estimular a demanda, alavancar tecnologias subutilizadas e promover tecnologias da empresa.
    • Ampliação da cadeia de valor, com novos negócios ligados a sua rede de fornecedores, clientes, agentes, distribuidores e franqueados.
    • Expansão do escopo de operações e conhecimento da empresa.
    • Desenvolvimento de tecnologias radicais para substituir linhas de produtos e acessar novos nichos de mercado.
    • Acessar e aprender sobre campos emergentes e tecnologias radicais.
    • Alternativas ao negócio principal.
    • Alternativa para o desenvolvimento de produtos que envolvam riscos elevados.